segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Desvairo

Tenho interesses variados. Minha formação não delimita minha visão e minhas preferências não são traçadas pelo pré-julgamento da 'classe' dos jornalistas (ou, como diria o Eduardo, da Metropolitana, o 'bando').
Procuro, é claro, me manter informada sobre as notícias mais 'movedoras' e relevantes aos moradores do planeta terra, mas me dou o completo direito de ler/assistir/escrever o que e como eu bem entender quando não estou dentro das quatro paredes amareladas do escritório.
Gosto de leitura light. Detesto leitura técnica.
Algumas pessoas, por costume ou preconceito, tendem a achar que esse tipo de comportamento é um apego injustificável à adolescencia (que, pra falar a verdade, ainda nem esfriou no caixão), ou que é simplesmente criancisse (diz minha mãe).
Não vejo como, nem porque. Se escolhi ser jornalista, isso não significa que 24 horas dos 7 dias da semana devam ser gastos exercendo a profissão! Nem que cada pensamento que me ocorra deva ter relação com o mesmo.
Sacada: Sou jornalista, o jornalismo não me é. Capice?
Talvez não seja comum encontrar por aí marmanjas de 19 anos que gostam de ler Meg Cabot, Stephenie Meyer e Sophie Kinsella...Bom, eu gosto da idéia de não ser comum. Assim como gosto dos meus livros.
Hoje, voltando do horário do almoço, encontrei uma garota que trabalha no '0800' da Universidade (atendimento telefônico). Me perguntou o que eu estava lendo e eu indiquei a capa do livro, que ela olhou com expressão de "Como ela consegue ler isso?".
Me perguntou se era bom, disse que sim. Aí, então, achou que era interessante tentar ser engraçada e me disse "Ah, quando eu estava no ensino médio lia um livro de literatura por SEMANA. Agora só consigo tempo para ler meus livros da faculdade".
Sou uma boa pessoa, então deixei de comentar sobre a supercapacidade dela em ler NA VELOCIDADE DA LUZ, um livro em uma semana (sarcasmo) e sobre como eu DUVIDO que ela não tenha mesmo tempo.






Cortei a conversa ali e fui escovar os dentes.
Não tenho paciencia pra quem se acha importante demais para leitura simples.

2 comentários:

  1. Da próxima vez que encontrar a fulana: 1º, por favor informe-a de que um livro por semana é motivo de vergonha, e não orgulho; 2º, indique um curso de leitura dinâmica e 3º, só para deixar o lado malvado escapar um pouquinho, cite Mia Thermopolis em seu discurso: "me deem um mangá ou eu prefiro a morte".

    ResponderExcluir
  2. Seguir a massa mundial de 'fases da vida' é algo massante. E você faz muito bem seguindo seus principios, ora.
    Um livro por semana?
    Faz favor, né?
    Leio tudo que me for possivel. Menos livros didáticos aushuahs. Ah não ser as tirinhas da Mafalda e do Hagar que sempre vêm. uahsuahsuhas
    Tecnicamente minha profissão ainda não foi definida. Não vou morrer sendo arquivista junior de uma empresa de energia.
    Já a futura profissão? Bom, com certeza irei continuar lendo de um tudo. E quanto a opinião dos outros? Vai continuar sendo apenas a opinião dos outros.
    :**

    ResponderExcluir

speak your mind