quarta-feira, 2 de setembro de 2009

One Night Stand

Sentiu o calor do sol fraco da manhã aquecer suas costas nuas levemente. Deixou a sensação se condensar antes de pensar em abrir os olhos para a realidade. Num segundo, porém, se fora. Sua mente era bombardeada com pensamentos e lembranças diversas.
Uma enxurrada, uma queda, um sonho.
Lembrou-se da noite passada. Dos olhos que penetravam em seu interior sem nenhuma censura ou misericórdia. O perfeito cavalheiro que atravessava o salão em três passadas e lhe servia o champagne. Carlos, Eduardo, Luis...Algo do gênero. Seu nome não era importante.
Não. Mas seu jeito de andar era. E também seu sorriso, seus ombros largos, suas mãos e todos os gestos mais. Mais. Fora esse o seu mantra repetido durante cada segundo da noite passada.
Não falara, porém, em nenhum segundo.
Lembrava-se do calor, da força de colisão, dos suspiros, dos gemidos. Seu corpo. O corpo dele. Nenhuma linha de separação. Nenhum limite. Nenhuma roupa. Nada. Não sentiu arrependimento.




Porém, quando suas mãos exploraram a cama em procura pelo acompanhante, voltaram vazias.

Um comentário:

  1. UIIIIIIIIIIII

    quando tu for uma escritora famosona, não se esqueça das brothas, ok? ^^

    ResponderExcluir

speak your mind