sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Juliana in the last year of college with evil ideas


Sair do Ensino Médio é um processo tenso. Você tem, pela primeira vez na vida, a sensação de que está livre para fazer o que bem quiser - e com essa sensação, vem também o medo do cacete de fazer merda. Veja bem, liberdade é um poder traiçoeiro. Aquilo que você deseja aos poucos se torna uma espécie de estorvo, e você começa a desejar que tivesse deixado seus pais decidirem seu futuro.

Claro, isso tudo passa.

Vai chegar aquele momento em que a carreira começa a fazer certo sentido. Seu estágio está bacana. Você curte dizer que trabalha na área e até o projeto de conclusão de curso está te deixando com orgulhinho.

E sabe o que acontece então? A faculdade acaba. E você é jogado para uma nova sensação de liberdade. Mas dessa vez você não é bobo - já sabe que isso significa TENSÃO! Seus planos imediatos acabam e não há rotas obrigatórias. Tecnicamente, você pode ser, estar e fazer o que quiser da sua vida e do seu diploma. Você está na topo da cadeira profissional (exagero). Mas você sabe a verdade. Siiim. Você sabe. E a verdade é que daqui pra frente suas dívidas são suas dívidas. Não há desculpa de "sou universitária". Não. Ou você administra sua própria grana, ou fudeu.

Você também não tem mais a mordomia da tentativa. Você não é mais estagiário, não está aqui para aprender. Ou acerta ou te acertam. Se ficar muito tempo parado, ninguém vai te querer. Se escolher o primeiro emprego, a oportunidade certa pode passar e você nem ver. Se for bobo demais, não vai nem passar da primeira etapa de entrevistas. Além de tudo isso, tem a questão da competência. Quer dizer, você acha que é competente. Mas você é competente mesmo? Mesmo?

Nem todo mundo vai gostar das suas ideias, da sua forma de trabalho, da sua risada e até mesmo das roupas que você veste. Vai ter gente que não vai tolerar seus 15 minutos de atraso ali e aqui quando você resolve tomar café da manhã. Você pode não evoluir, ficar presa no mesmo lugar para sempre. Você pode não aprender mais nada, e só servir praquilo que todo mundo serve.

Há tantas formas que você pode se dar mal, que a liberdade parece um preço alto demais a se pagar.

Eu? Eu acho que vou é fazer Publicidade e Propaganda ano que vem e garantir as minhas obrigações. Liberdade é pra quem tem autocontrole e disciplina.

MAS, enquanto não chego o fim do ano e eu ainda tenho minhas obrigações de aluna e a fase do mal, na qual o TCC é o chefão, ainda tenho algumas coisas em que pensar. Esse mini stop-motion, aí embaixo, é uma preview do vídeo documentário que o meu grupo está desenvolvendo. Dá uma olhada.




3 comentários:

  1. Foi tanta pressão que acho que vou voltar pro pré. haha
    Brincadeira.
    Na verdade, acho que se a gente respirar sempre e encarar como desafio, da pra segurar as pontas. Porque vai chegar o momento em que haverá estabilidade. Por dois minutos, uma semana, meses, mas haverá.
    E é aqui que a gente olha pra trás e pode pensar que podia ter feito mais, podia ter escolhido outra coisa, ou simplesmente feliz por o que escolheu.

    ResponderExcluir
  2. Nem me fale nesse momento! Estou exatamente nele tbm!
    Gostei do preview do seu documentário! Será sobre oq?
    Estou te seguindo!
    Beeeijo!

    ResponderExcluir
  3. Foi tanta pressão que acho que vou voltar pro pré. haha
    Brincadeira.
    Na verdade, acho que se a gente respirar sempre e encarar como desafio, da pra segurar as pontas. Porque vai chegar o momento em que haverá estabilidade. Por dois minutos, uma semana, meses, mas haverá.
    E é aqui que a gente olha pra trás e pode pensar que podia ter feito mais, podia ter escolhido outra coisa, ou simplesmente feliz por o que escolheu.

    ResponderExcluir

speak your mind